Postado em 18 de Outubro de 2017 às 08h52

OSTEOPOROSE E SARCOPENIA

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

A osteoporose é uma doença associada ao envelhecimento do organismo e dada a maior longevidade obtida através dos avanços da medicina no tratamento de outras doenças, cada vez mais esta condição tem sido diagnosticada.

A estrutura óssea não é inerte, está em constante reabsorção e formação e há uma complexa interação de hormônios que atuam nisto. Este equilíbrio fino perde-se com a idade, inicialmente em mulheres no período da menopausa e posteriormente em homens.

Alterações nestas taxas normalmente são silenciosas e normalmente observamos casos onde sabe-se que há osteoporose, mas não especificamente qual está sendo sua causa específica.
Dado o impacto na saúde individual e pública, felizmente há uma crescente conscientização quanto a prevenção.

Porém deve ser enfatizado que embora importante o tratamento medicamentoso é apenas parte do tratamento global para a condição.
Deve ser levado em conta que concomitante a perda de massa óssea(OSTEOPENIA ou OSTEOPOROSE), ocorre também a perda de massa muscular(SARCOPENIA), esta situação leva ao maior risco de quedas.

As medicações disponíveis tratam a perda da massa óssea atuando de diferentes formas, tendo também diferentes efeitos colaterais que devem ser monitorados.
Quanto a sarcopenia, não há comprovação em estudos científicos de alta qualidade que comprovem que determinada medicação atua de forma efetiva nisso.
Assim sendo a atividade física orientada de forma correta ainda é o “remédio” mais eficaz no tratamento da sarcopenia.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

O que você deve lembrar:

1-é uma doença que tem componente genético associado;
2-histórico de abuso de álcool ou fumo facilitam a ocorrência do quadro;
3-tratamentos com algumas medicações específicas por longo prazo podem levar a perda da massa óssea;
4-situações que levam a menopausa precoce devem ser estritamente monitoradas pois o risco de desenvolver a doença é maior;
5-embora a DENSITOMETRIA ÓSSEA seja talvez o exame mais importante, há outros exames que podem ser necessários dependo de cada caso;
6-o tratamento medicamentoso ajudará, mas a atividade física regular e orientada é de fundamental importância para a melhora da força muscular,equilíbrio e reflexos no idoso;
7-outras doenças típicas da 3ª idade como diabetes tipo 2, doenças neurológicas, obesidade influenciam também no metabolismo ósseo e devem ser corretamente tratadas.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

Veja também

Entendendo a DOR CRÔNICA12/09/17 Todo mundo sente dor de vez em quando. Quando você corta o dedo ou leva uma pancada no esporte, a dor é a maneira do seu corpo de lhe dizer que algo está errado. Uma vez que a ferida cura, deve parar de doer.  A dor crônica é diferente. Seu corpo continua doendo semanas, meses ou mesmo anos após a lesão. A dor crônica pode ter efeitos reais sobre sua......
DOENÇA FACETÁRIA CERVICAL12/11/17 Também conhecida como síndrome facetária, pode ocorrer em qualquer dos segmentos da coluna. Abordaremos especificamente a coluna cervical. As articulações facetárias compreendem a região posterior onde 2......
TUMOR MALIGNO NA COLUNA12/05/19 Condição de extrema gravidade, pois indica progressão da doença, é vista em cerca de 40% dos pacientes com diagnóstico de câncer em algum outro órgão. O esqueleto é o 3º local mais......

Voltar para Blog