Postado em 19 de Setembro de 2017 às 08h47

LESÕES POR USO EXCESSIVO NO CICLISMO

Nos últimos anos, o ciclismo deixou de ser um esporte de elite europeu e está ganhando cada vez mais popularidade a nível mundial.

Existe um crescente impulso quanto a isso pelos inerentes benefícios a saúde de quem pratica, a mobilidade urbana e ecologicamente correto em tempos de superaquecimento global.

Especificamente quanto aos benefícios a saúde, isto deve ser balanceado com as potenciais lesões que podem acontecer e surpreendentemente há uma escassez de estudos sérios no referente a isso o que muitas vezes dificulta a tomada de decisões médicas adequadas.

Tais lesões variam com o tipo de ciclismo realizado: estrada, BMX ou mountain bike.

No primeiro exemplo temos a manutenção de posturas durante prolongados períodos, enquanto nos outros dois tipos exige-se esforço muito intenso durante curtos períodos.

A presença de alguma dor raramente impede alguém de pedalar, mas provavelmente limitará seu conforto e consequentemente seu desempenho. Em um estudo recente, 67% de ciclistas recreacionais permaneceram praticando mesmo com nível significativo de queixa.

Entretanto se essa dor estiver sempre presente ou no pior dos cenários, apresentar piora progressiva é um sinal de alerta importante, seu corpo está lhe avisando: “ALGO ERRADO ESTÁ ACONTECENDO...”

Em outro estudo realizado com 109 ciclistas de elite, o local de dor mais comum foi a região lombar, enquanto a dor na região do joelho provocou a piora do desempenho.

Em ciclistas recreacionais, além destes dois locais há uma elevada presença de queixas na região cervical, na sua imensa maioria devido a hiperextensão do pescoço no ciclismo de estrada.

Um outro fator bem representativo é quanto ao tamanho do quadro, posição do guidão e do banco.

O QUE É GERENCIAMENTO DE CARGA

Todos os sistemas do corpo humano tendem a se adaptar gradativamente a mudanças, exemplificando, ao treinar em subidas sua força e capacidade aeróbica serão gradativamente potencializadas, bem como realizando os “tiros” de velocidade.

Mas deve se ter em mente que nem todo mundo tem a mesma velocidade de adaptação a um determinada frequência e intensidade de treino, as respostas variarão.

Especificamente no ciclismo, os músculos e ossos em conjunto funcionarão como alavancas.
O corpo do ciclista precisa de carga suficiente para se adaptar e melhorar, mas não tanta carga que exceda sua capacidade, o que se torna uma questão de "treinamento de gerenciamento de carga".

Isso tem que ser visto como um componente chave para uma boa evolução: o médico, o ciclista e seu treinador devem criar um plano específico para que o atleta consiga evoluir e ao mesmo tempo não produzir lesões.’

Uma das melhores formas de realizar isso é usando-se os medidores de potência.

Falando especificamente das queixas ortopédicas mais comuns:

DOR LOMBAR

A queixa mais comum tanto em profissionais quanto a amadores. Sendo transitória por poucos dias, pode ser considerada normal. 

A postura em flexão contínua tende a relaxar os músculos abdominais e por maior tensão na região lombar, principalmente nos músculos e ligamentos.

Como procurar evitar:

1- Além do fortalecimento desse dois grupos musculares a inclinação correta da pelve anteriormente tende a distribuir de forma uniformemente a carga na região, causando menos estresse e consequentemente menos dor em um ponto específico;

2- A modificação no equipamento e a realização do “bike-fit” são muito importantes;

3- A flexão lateral excessiva do tronco também deve ser evitada.


IMPORTANTE: deve de ter em mente que a diferenciação entre um erro ergonômico ou a existência de uma real patologia na lombar somente será possível através de um correto exame físico e não apenas olhando-se uma ressonância ou outro exame de imagem, pois exames nem sempre traduzem a real causa da queixa.

DOR NOS JOELHOS

Também extremamente comum, a maioria das vezes sendo relacionada a articulação entre a patela e seu encaixe no fêmur, entretanto há pelo menos outros 5 pontos possíveis e potencialmente incapacitantes que devem ser corretamente examinados e investigados por profissional qualificado para tal.
No tangente a bicicleta, novamente a importância do “bike-fit”, bem como o ajuste correto do pedal para realizar o ciclo de movimento da forma mais harmônica possível.

Em ambos os casos, a correta identificação da causa e o tratamento ou medida adequada para identificar a origem do problema deve ser buscados, pois se isso não for feito, cedo ou tarde a limitação aumentará e lhe trará prejuízo. Quanto mais precocemente corrigido, melhor.

Veja também

RETORNO A ATIVIDADE FÍSICA PÓS INFECÇÃO COVID19/04 Assunto que infelizmente segue atual, muitos pacientes tem apresentado dificuldade no retorno as suas atividades Existem vários aspectos a serem considerados nesta circunstância. Em um estudo com cerca de 250 pacientes, a internação hospitalar foi inversamente proporcional a capacidade aeróbica, vale lembrar: isto não é uma regra absoluta. Apenas demonstra uma......
RECUPERAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA APÓS FUSÃO(ARTRODESE)01/02/18 O período de cura prolongado requerido para cirurgia de artrodese no segmento lombar torna os cuidados pós-operatórios especialmente importantes para que um resultado que garanta satisfação ao paciente seja obtido. Os......
DOR LOMBAR & MUSCULAÇÃO25/01 Atividade física é sabidamente benéfico para a saúde por diversos motivos. Para as queixas relacionadas a coluna, ela é um dos pilares fundamentais para manter o bom funcionamento global, auxiliando na......

Voltar para Blog