Postado em 21 de Setembro de 2017 às 10h30

ENTENDENDO A DOR CIÁTICA

A “ciática” não é uma doença, mas sim um sintoma.
Sendo o maior nervo do corpo humano, ele pode ser afetado em diversos locais, seja por um processo inflamatório, como ocorre em uma hérnia discal que irrita uma das raízes que formam o nervo, por condições que geram compressão no seu trajeto desde sua saída na coluna ou instabilidade na coluna e suas estruturas.
Pode ocorrer tanto em homens quanto mulheres, sendo mais comum a partir da terceira década de vida.
A apresentação, intensidade e tempo de duração da queixa podem variar de um indivíduo para outro.
Normalmente pode ser da seguinte forma:
- dor que irradia desde a região lombar pela parte posterior e lateral da do membro inferior;
- alteração da sensibilidade no trajeto da raiz ou raízes que estão sendo atingidas;
- piora da dor em movimentos que causam compressão das raízes;
- alteração da força muscular;
Embora exames complementares sejam importantes para definir o motivo do sintoma, a história e o exame físico realizado de forma adequada são de suma importância.
A diferenciação adequada da causa da dor orienta o tratamento.

HÉRNIA DISCAL

ESTENOSE DO CANAL LOMBAR

INSTABILIDADE LOMBAR

tratamento

Deve ser baseado na identificação correta da causa e se possível evitar a ocorrência de novas crises.
O uso de medicações para o quadro agudo ou crises recorrentes deve ser orientado pelo especialista, pois algumas destas se utilizadas de forma incorreta podem acarretar efeitos colaterais. Seu uso indiscriminado deve ser evitado.
O repouso está indicado nos períodos de piora e deve ser evitado de forma muito prolongada, devendo ser orientado a retomada gradual das atividades cotidianas respeitando-se os limites que a situação pode acarretar.
É de suma necessidade a identificação por parte do paciente de situações que pioram a queixa, cabendo a este procurar evitá-las no dia-a-dia.
Modalidades alternativas de tratamento devem ser dialogadas com o especialista, pois certas medidas que são cabíveis em determinadas situações, em outras não são e mesmo as medidas corretas algumas vezes não surtem o efeito desejado pelo paciente.

Evolução

Felizmente, no que no jargão médico chamamos de história natural da doença, a resolução do quadro pode ser esperada dentro de um período de semanas.
Mais de 80% dos pacientes evoluem positivamente.
O tratamento durante este período pode variar de acordo com alterações de sinais e sintomas e intensidade da apresentação.
Tenha sempre em mente que o cuidado adequado deverá fazer parte do cotidiano.
Certos parâmetros indicarão a necessidade cirúrgica, o que normalmente é de exceção.

Veja também

FIBROMIALGIA05/09/17 Recentemente foi publicada pela EULAR(European League Against Rheumatism) novas diretrizes a respeito do tratamento da fibromialgia. Esta é a primeira atualização em mais de uma década, não sendo somente baseada em pareceres de especialistas, mas firmemente embasada em evidências científicas de alta qualidade. Incluiu 18 experts de 12 países europeus, que......
NEUROESTIMULADORES PARA DOR CRÔNICA22/04/18 Apesar da cirurgia de coluna, quando bem indicada, ser uma excelente alternativa para o tratamento das patologias da coluna, eventualmente alguns indivíduos não obtém resultado que lhe traga alívio satisfatório. Isso......
HÉRNIA DE DISCO LOMBAR24/09/19 Para você ter uma melhor compreensão do problema, imagine os discos de sua coluna como amortecedores: eles distribuem a carga entre as vértebras o que permite a movimentação do nosso tronco. Estruturalmente ele é......

Voltar para Blog