Postado em 01 de Junho às 10h37

DOR MUSCULAR APÓS EXERCÍCIO

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

É uma das condições mais frequentes em qualquer pessoa que pratica ou está iniciando uma atividade física regular.
A sigla em inglês DOMS, de Delayed Onset Muscle Soreness, será usada durante o restante desta explanação.
Normalmente ela se apresenta no primeiro e segundo dias após a atividade.
Descrita inicialmente em 1902, até os anos 70 muito pouco ou nada se pesquisou sobre a sua ocorrência e como lidar com ela.
Produzido pela atividade física, o lactato foi e ainda é considerado um vilão nesse contexto.
Somente nos anos 80, através de biópsias musculares, foi possível começar a compreender melhor o porquê disso ocorrer.
Posteriormente, dosando os níveis de lactato, verificou-se que seus níveis no sangue voltam ao normal em menos de uma hora após do término da atividade.
Para entendermos melhor, devemos voltar a um dos princípios mais universais da natureza: AÇÃO E REAÇÃO. Tudo o que você fizer com o seu corpo irá desencadear uma cascata de eventos químicos e físicos nos órgãos e estruturas e isso terá fases distintas.
Ao realizarmos um movimento, temos de um lado os músculos que fazem a alavanca e outros que serão responsáveis para estabilizar o(s) membro(s) envolvido(s). Isso também ocorre durante a caminhada, corrida, natação, ciclismo, dança etc.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

Dependendo do exercício, vários ou praticamente todos os grupamentos musculares serão exigidos para que ele ocorra, e esse trabalho será repetido inúmeras vezes a cada vez que se repete o ciclo.
Os movimentos de desaceleração, como aterrissar o pé no chão durante a corrida, geram um tipo de contração específica, chamada excêntrica: o músculo ao mesmo tempo se alonga à medida que se contrai.
Toda essa exigência causará danos na microestrutura das fibras, levando a um processo inflamatório que gera substâncias nocivas dentro do músculo que procura eliminá-las, aumentando a sua “porosidade” e que também leva ao acúmulo de líquido (o inchaço).
Esse inchaço leva ao aumento da pressão que estimula as terminações nervosas responsáveis pela dor.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

LIDANDO COM O PROBLEMA
Primeiramente você deve entender que o dano que ocorre faz parte de um processo em que a resposta final será a construção de uma estrutura muscular mais forte e resistente.
A seguir, listarei as alternativas mais comuns e o que sabemos atualmente sobre diversas medidas adotadas para o gerenciamento dessa condição.
Imersão em água fria: com temperaturas entre 11°-15° por cerca de 15 minutos, ocorre uma diminuição do metabolismo muscular e a pressão exercida pela água sobre o corpo melhora a distribuição de líquidos dentro do organismo, facilitando a remoção dos metabólitos, o ‘lixo’ produzido pela atividade intensa. Além disso, há o efeito analgésico direto sobre as fibras nervosas que transmitem a dor ao sistema nervoso.
Crioterapia de corpo inteiro: restrita ao ambiente profissional dada a disponibilidade de uma estrutura para isso, consiste em expor o corpo a temperaturas extremamente baixas em uma câmara fria por 2 a 5 minutos. Até o momento, não há consenso sobre um protocolo adequado quanto à temperatura e poucas evidências de sua eficácia.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

Calor antes da atividade: é uma estratégia que ainda carece de estudos de grande escala, mas tem ganhado certa evidência. Há análises realizadas em laboratório que demonstram que as fibras músculo-esqueléticas sofrem menor degradação quando isso é feito antes da atividade.


Compressão: a ampla variação no método de avaliação, combinada com as diferenças no tempo e duração de sua aplicação, bem como a modalidade de exercício e o nível de treinamento da população investigada, contribuíram para os achados aparentemente inconsistentes. Há defensores de sua aplicação durante e depois da atividade e também de forma intermitente.

Exercício leve e alongamento: uma análise de 17 estudos, que incluem uma ou ambas as modalidades, demonstraram que não são medidas capazes de reduzir isoladamente o surgimento da dor induzida pelo exercício.


Terapias alternativas: estudos realizados com a acupuntura também foram conduzidos,porém não foi comprovada eficácia na situação. Medidas como massagem no local afetado podem trazer alívio momentâneo.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

Medicações e nutrientes: há diversas substâncias que foram testadas nesse contexto, podemos dividi-las em 3 categorias:
- algumas já bem fundamentadas como úteis em estudos bem conduzidos;
- outras que, embora rotineiramente usadas e prescritas, não deveriam ser utilizadas;
- aquelas que carecem ainda de evidências sólidas no campo científico para serem empregadas em larga escala.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

MENSAGEM FINAL


Você deve compreender que a D.O.M.S. é algo fisiológico, ou seja, surge como uma resposta do seu corpo quando ele é submetido a uma carga maior àquela que está acostumado, buscando adaptá-lo e torná-lo mais resistente ao estímulo externo.
Tenha em mente que quando há uma exigência alta há também um período mínimo necessário para que a recuperação ocorra.
O processo pelo qual os danos são reparados, ao mesmo tempo em que causam a dor, é o primeiro passo que seu corpo está dando para melhorar seu condicionamento.
Evite uso de substâncias sem orientação profissional, sejam quais forem, pois embora possam melhorar sua dor, podem ter contraindicações ou mesmo serem absolutamente inadequadas e desnecessárias.
Não existe uma estratégia única e pela variabilidade de respostas que ocorrem para cada organismo, deve-se buscar o equilíbrio, observando suas respostas físicas com aquilo que você tentar.
Sempre que for iniciar ou mudar sua rotina de exercícios, converse com os profissionais que lhe acompanham, procurando colocar um plano adequado dentro dos seus objetivos e respeitando aquilo que seu corpo lhe permite.

  • Dr. Márcio Telesca – Especialista em Cirurgia de Coluna -

Veja também

RECUPERAÇÃO FUNCIONAL DA DOR LOMBAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA28/06/18 A dor lombar comumente afeta atletas profissionais e recreacionais em diversas modalidades, afetando negativamente o desempenho. Uma reabilitação mal orientada, quer seja na carga de exercícios realizada ou na precocidade de alguns movimentos, pode ser extremamente prejudicial. Um enfoque recente, baseado na terapia funcional cognitiva é uma abordagem contemporânea e......
DOR LOMBAR E MÁ POSTURA12/09 Boa postura é essencial para uma boa saúde. A maioria das queixas que pessoas relacionam a coluna é decorrente de hábitos de vida e posturais “cultivados” ao longo dos anos e facilmente reconhecemos isso em......
NEUROESTIMULADORES PARA DOR CRÔNICA22/04/18 Apesar da cirurgia de coluna, quando bem indicada, ser uma excelente alternativa para o tratamento das patologias da coluna, eventualmente alguns indivíduos não obtém resultado que lhe traga alívio satisfatório. Isso......

Voltar para Blog